9 Etapas para um MVP de Sucesso

MVP (Mínimo Produto Viável, na sigla em inglês), significa construir a versão mais simples e enxuta de um produto, empregando o mínimo possível de recursos para entregar a principal proposta de valor da ideia. 

O MVP surgiu do mercado de inovação e startups, principalmente voltado para tecnologia, mas seu uso se expandiu e hoje é uma das etapas importantes para lançar um novo produto ou negócio. Basicamente, o MVP é uma versão enxuta, mais simples possível, de uma solução, serviço ou produto, que contém apenas as funcionalidades mais básicas.

Os dois principais objetivos do Mínimo Produto Viável são: 

1- Testar o quanto aquela ideia, produto ou serviço é viável 

Colocando uma vers√£o simples de um produto em circula√ß√£o no mercado, o empreendedor pode avaliar se h√° demanda pelo seu neg√≥cio e se √© vi√°vel coloc√°-lo em pr√°tica. Al√©m disso, o MVP tamb√©m tem como fun√ß√£o acelerar o processo de lan√ßamento de um neg√≥cio. O objetivo √© pular algumas etapas e ter condi√ß√Ķes suficientes de avaliar se vale a pena ou n√£o prosseguir com o neg√≥cio.¬†

2 ‚ÄstReduzir a perda de capital em casos de falha

Lançar uma versão enxuta é mais barato do que um produto completo, então ao testar a ideia com um MVP, é possível minimizar a perda de dinheiro caso o negócio não dê certo. Também é uma boa forma de conseguir feedbacks dos clientes e entender quais melhorias podem ser feitas e por qual caminho seguir no negócio. 

Vantagens de lançar um MVP

As principais vantagens de lançar um MVP são:

  • O produto pode ser lan√ßado para o mercado em um menor tempo;
  • √Č poss√≠vel testar a demanda sobre o produto, antes de lan√ßar a vers√£o totalmente completa;
  • Os custos de implementa√ß√£o s√£o mais baratos;
  • Minimiza a perda de capital em casos de falha;
  • O teste serve para tirar conclus√Ķes sobre o que vem funcionando bem e o que pode ser melhorado;
  • Acompanhar mais de perto os clientes e analisar seus comportamentos e prefer√™ncias em rela√ß√£o ao produto.

Da identificação de um problema até a execução de um MVP, listamos 9 etapas necessárias para a realização de um MVP de sucesso:

1. Entenda o Problema que Voce quer Resolver

Um dos passos mais importantes no processo de desenvolvimento do seu produto √© o entendimento e a defini√ß√£o adequada do problema que voc√™ quer resolver. 

Se puder use algum modelo ou framework para ajud√°-lo a formular o problema com clareza e objetividade. 

Comece descrevendo a situação ideal e depois a atual e veja como usuários são afetados por essa lacuna.

Apoie sua defini√ß√£o do problema com estat√≠sticas e fatos, por exemplo, figuras para descrever o tamanho do problema ou potencial da oportunidade. 

Mantenha seu problema em alguma forma simples e clara através de uma definição estruturada e bem compreendida sem detalhes técnicos ou termos sofisticados.

A declara√ß√£o do problema deve se tornar parte do seu idioma corporativo pois sua equipe, investidores, parceiros e demais partes interessadas devem poder entend√™-lo instantaneamente e fazer refer√™ncia a ele ao revisar suas solu√ß√Ķes e planos futuros.

2. Identifique seus Usu√°rios

Saiba para quem est√° resolvendo o problema; 

Identifique e nomeie os diferentes tipos de usu√°rios no contexto do seu problema;

Documente suas necessidades e os problemas que est√° enfrentando; 

Identifique suas dores, suas expectativas e a melhor experiência possível que eles poderiam ter nesse contexto;

Defina critérios de sucesso para cada tipo de usuário.

3. Entenda seus Usu√°rios

Identificar seus usu√°rios √© diferente de entender seus usu√°rios. 

Voc√™ precisa aplicar empatia, estudar seus usu√°rios e entender profundamente seus perfis, h√°bitos e necessidades. 

Voc√™ pode usar pesquisas existentes, informa√ß√Ķes de dom√≠nio p√ļblico ou fazer entrevistas com usu√°rios e grupos de pessoas para validar sua defini√ß√£o do problema e sua solu√ß√£o em potencial.

4. Valide seu Problema

Definir seu problema com clareza permite valid√°-lo com seus principais interessados, incluindo seus clientes ou usu√°rios finais;

Desafie o problema e verifique se vale a pena resolvê-lo;

Estude os usu√°rios impactados e documente como eles s√£o afetados por esse problema. 

Durante esse processo, tente responder às seguintes perguntas:

Os usuários conhecem alguma solução em potencial para o problema?

Esse é o problema mais significativo que eles estão enfrentando nesse contexto?

Existem solu√ß√Ķes alternativas que eles est√£o usando?

Como a situação deles melhoraria se houvesse uma boa solução?

Eles pagariam por essa solução?

Nesse ponto você também deve verificar o mercado e o estado da arte para descobrir se existem produtos ou serviços existentes resolvendo o mesmo problema, e se sim, é fundamental entender como.

5. Pense em Potenciais Solu√ß√Ķes

Ter um problema bem definido e validado permite criar e explorar poss√≠veis solu√ß√Ķes. 

Nesse estágio, comece definindo o contexto. Verifique se sua equipe está alinhada e tem um entendimento profundo e compartilhado do problema, sua situação, o estado ideal, os usuários, os seus tipos, os pontos de dor e as oportunidades.

Em seguida, passe para uma fase de idea√ß√£o pois voc√™ precisa de id√©ias sobre como resolver o problema e agregar valor aos seus clientes. A idea√ß√£o pode assumir a forma de uma s√©rie de sess√Ķes de brainstorming ou sprints e concursos como hackathons.

Qualquer que seja a forma ou os m√©todos selecionados, verifique se sua equipe est√° capturando todas as id√©ias de forma sistem√°tica. Isso √© importante para permitir itera√ß√Ķes r√°pidas sobre esse conjunto de id√©ias e p√≥s-processamento pois voc√™ ter√° que avaliar as ideias e anexar dados e ferramentas √† medida que avan√ßa. Dependendo da escala de sua iniciativa, um sistema de idea√ß√£o pode agregar um valor significativo ao organizar e acelerar todo o processo.

Supondo que haja um conjunto de √≥timas id√©ias e poss√≠veis solu√ß√Ķes, itere atrav√©s das seguintes etapas:

Revise todas as suas idéias abstratas e priorize-as com base em seu potencial e viabilidade;

N√£o descarte id√©ias, em vez disso, atribua prioridades pois isso permitir√° que as id√©ias permane√ßam ativas e sejam reconsideradas em diferentes circunst√Ęncias no futuro;

A prioriza√ß√£o permitir√° que voc√™ escolha as ideias mais promissoras, usando n√£o apenas opini√Ķes, mas uma ‚Äėestrutura de avalia√ß√£o de ideias‚Äô padronizada;

Combine as idéias conforme necessário, juntando ou agrupando para elaborar uma solução geral ou definição de produto;

Itere e refine o rascunho do produto; 

Verifique se possui a integridade necess√°ria para cham√°-lo de ‚Äúproduto‚ÄĚ;

Comece pequeno mas pense grande e defina um roteiro de produtos a longo prazo;

Declare suas suposi√ß√Ķes e como voc√™ as validar√°.

6. Defina o seu Produto Completo

O Mínimo no MVP implica que você já tem o Big Picture, a visão do seu produto. Um erro comum é quando a equipe identifica facilmente um conjunto de casos de uso óbvios para o MVP sem uma visão clara e uma boa definição do produto completo.

Supondo que voc√™ tenha essa vis√£o ousada do produto, o pr√≥ximo passo √© definir seu produto completo como uma longa lista de hist√≥rias de usu√°rios que ser√° o backlog do seu produto. √Č importante entender aqui que esta √© a vers√£o completa do seu produto e n√£o apenas do seu MVP.

Outro ponto importante √© que voc√™ n√£o precisa aplicar viabilidade, custo ou outras restri√ß√Ķes nesse est√°gio e sim descrever tudo, at√© os recursos mais loucos e caros do produto, pois voc√™ poder√° prioriz√°-los e gerenci√°-los posteriormente.

Dessa forma, voc√™ n√£o precisa pular, soltar ou arquivar uma id√©ia para um recurso que esteja adiantado no tempo ou ainda n√£o seja bem compreendido. 

Em vez disso, voc√™ deve inclu√≠-los no seu backlog com uma prioridade mais baixa mas eles ainda ser√£o detect√°veis ‚Äč‚Äče potencialmente √ļteis no contexto e momento certo.

Itere e continue definindo mais histórias de usuários até que seu produto seja descrito na íntegra. O backlog de produto completo deve ter todos os recursos que você puder imaginar, refletindo as necessidades de todos os usuários identificados até o momento e tudo na forma de histórias sólidas de usuários.

7. Defina seu MVP

Nesse ponto você já tem a definição de seu produto completo. O que você precisa agora é um processo para encontrar o melhor subconjunto mínimo de recursos do backlog completo do produto.

Esse melhor subconjunto m√≠nimo de recursos, que agrega valor suficiente aos seus clientes iniciais para mant√™-los felizes e engajados, √© o objetivo do MVP, a primeira inst√Ęncia do seu produto real, que o ajudar√° a entrar no mercado mais rapidamente, com custos m√≠nimos de implementa√ß√£o e os loops de feedback corretos habilitados.

Para encontrar esse subconjunto m√≠nimo, analise cuidadosamente cada hist√≥ria de usu√°rio em termos de valor para o usu√°rio, a import√Ęncia na solu√ß√£o do problema e tamb√©m em termos de custo e viabilidade. Dessa forma, todas as hist√≥rias de usu√°rios no backlog do seu produto ter√£o uma prioridade, um n√ļmero,idealmente em fun√ß√£o do valor e da viabilidade esperados.

O próximo passo é classificar as histórias de usuário, com a maior prioridade no topo, para que então você aplique o senso comercial e do produto para desenhar a linha vermelha que definirá as principais histórias como a base do seu MVP.

8. Defina o que seria o Sucesso de seu Produto

Até agora você tem uma excelente base para criar seu MVP. Você já possui uma sólida declaração de problemas, profundo entendimento de seus usuários, mercado e tecnologia, além de um backlog priorizado de produtos.

Antes de come√ßar a implementar seu produto √© recomend√°vel definir crit√©rios de sucesso espec√≠ficos e como rastrear os n√ļmeros envolvidos. 

Identifique as principais m√©tricas e os pontos de dados subjacentes; 

Defina e documente os KPIs (Key Performance Indicators) que refletir√£o o desempenho do seu produto em rela√ß√£o ao tempo e outras dimens√Ķes;

Pense em como suas suposi√ß√Ķes e hip√≥teses est√£o ligadas a essas m√©tricas e KPIs;

Configure um sistema para monitorar esses KPIs e qu√£o pr√≥ximos eles est√£o do sucesso predefinido. 

Voc√™ provavelmente precisar√° de um funil para medir as taxas de convers√£o e um painel especial como um ponto de refer√™ncia √ļnico e confi√°vel em rela√ß√£o ao desempenho do seu produto.

9. Agora Construa, Meça e Aprenda

Esperamos que o processo descrito at√© agora lhe d√™ um MVP bem definido. 

Você saberá o que construir, por que, para quem e, possivelmente, quando e como.

Mas esta √© apenas uma parte da hist√≥ria pois para ter sucesso, voc√™ precisa ‚Äúfazer acontecer‚ÄĚ.

Voc√™ tamb√©m precisa de executar com compet√™ncia o seu MVP. Siga as pr√°ticas modernas das metodologias √°geis ‚Äď construa, me√ßa, aprenda e repita rapidamente sempre com o usu√°rio em mente.

Aprendeu as etapas para um mvp de sucesso ? Se quiser conversar mais sobre empreendedorismo em Salvador fale conosco no Shopping Paseo Itaigara, Loja 217 ‚Äď Mezanino.

Assine nossa newsletter para receber artigos de empreendedorismo, marketing digital e tecnologia.

Ap√≥s se cadastrar voc√™ poder√° receber informa√ß√Ķes, notifica√ß√Ķes e eventualmente e-mails com nossos conte√ļdos e ofertas relevantes.

* preenchimento obrigatório

aluguel de salas comerciais em salvador, aluguel de salas comerciais, alugar sala coworking, aluguel sala coworking, aluguel de sala coworking, aluguel de salas comerciais em salvador, aluguel de salas por hora em salvador, salas de reuni√£o, aluguel de salas para reuni√£o, aluguel de sala de reuni√£o, salas de reuni√£o coworking, sala reuni√£o coworking

Coletiv.me Display 970 x 250 px
Logo Coletiv.me

Shopping Paseo Itaigara - Loja 217
(71) 2132-8451

Um local onde voce participa com suas qualidades individuais transformadas e potencializadas com um grande conjunto de conhecimentos coletivos.